Bandagem funcional x exercício físico

 

A bandagem funcional funciona aliviando a dor e estabilizando uma determinada articulação, pode ser realizada através de diversos tipos de materiais, sendo o esparadrapo o mais utilizado no Brasil, porém também pode ser feita uma bandagem mais rígida com material importado (tensoplast) ou com fita(Kinesiotaping fisioterapia desportiva). As técnicas variam de acordo com o material utilizado e devem ser aplicada pelo profissional que analisará qual usará de acordo com cada caso.

 

As primeiras técnicas de bandagem foram desenvolvidas por Jenny McConnell em 1986 e a partir de então sua eficácia vem sendo comprovada bem como outras técnicas de bandagem foram sendo criadas. Vale destacar que esta deve fazer parte de um programa de reabilitação complementando-o e não substituindo-o.

 

Indicada para o aumento de performance esportiva, controle de dores, prevenção de lesões e tratamentos fisioterápicos; condições ortopédicas, neuromusculares e neurológicas;contusões, deformidades, edemas, fissuras e fraturas, lesões articulares, capsulares, ligamentares, musculares, tendinosas e pós gesso; por facilitar o processo de cura natural do corpo pode ser utilizada para desde dores de cabeça até incômodos no pé. Por sua grande abrangência tanto crianças, atletas, adultos e idosos podem beneficiar-se da bandagem funcional com objetivos diferentes.

 

Seu funcionamento baseia-se em mecanismos neurofisiológicos e biomecânicos alterando alguns parâmetros de aplicação e distribuição de forças de acordo com a curva carga-deformação para prevenir a sobrecarga do tecido tendo como objetivo: corrigir o movimento de uma articulação(ex: bandagem patelo-femoral); comprimir(ex: técnica de basketwave) uma lesão recente visando reduzir o edema; limitar movimentos articulares não desejados(ex: bandagem para IMD da articulação glenoumeral); facilitar a cicatrização sem afetar as estruturas lesadas; proteger e dar suporte às estruturas lesadas numa determinada posição durante a prática de exercícios de reabilitação, alongamento e proprioceptivos(ex: bandagem para o LCM). De forma neurofisiológica atua na modulação da dor a nível espinhal com o estímulo tátil, onde fibras aferentes ativam os interneurônios produtores de encefalinas, que inibem as fibras C da dor; já o fortalecimento ou relaxamento da musculatura ocorre através das propriedades elásticas da bandagem que estimulam a função das fibras musculares e tendões.

 

 

Todos os direitos reservados.

" Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta vitória que vence o mundo: a nossa fé." ( 1Jo 5:4)

  Site Map