HDL x LDLx exercício físico
Será que todo o tipo de gordura faz mal à saúde?Dúvidas e curiosidades sobre a variação do colesterol total



Muitos acreditam que o colesterol é ruim para o organismo e não é bem assim!
Vamos às explicações: o colesterol é sintetizado (produzido) em quantidades necessárias pelo organismo e se encontra em todos os tecidos animais, mas especialmente concentrado no fígado, nos rins, nas glândulas supra-renais e no cérebro. Trata-se de um composto vital e de suma importância para o organismo, essencial nas membranas das células, presentes em todos os tecidos, na produção dos hormônios sexuais, da vitamina D e de sucos digestivos e da saúde do sistema imunológico! Viu como o colesterol não é exatamente o que pintam por aí?! Nos tecidos nervosos, desempenha papel isolante, semelhante ao da capa de fios elétricos. Como sabemos, além de ser produzido pelo naturalmente, o colesterol presente na corrente sanguínea pode provir da ingestão de alimentos. Observaremos a seguir que o prejudicial é seu excesso: fisiologicamente, o organismo contrabalança e equilibra o colesterol ingerido, sintetizando-o no fígado em quantidades menores e excretando-o mais ou absorvendo-o menos. O colesterol, por ser derivado de gordura, não é solúvel em água, portanto, seu transporte pela corrente sangüínea para os órgãos necessita de “ajuda” pois naturalmente não pode ser realizado, por conta de a gordura e a água não se misturarem, para facilitar no transporte,  é preciso que este se une a lipoproteínas hidrossolúveis.

Existem diversos tipos de lipoproteínas, que variam de acordo com sua densidade: as HDL (High Density Lipoproteins) que são lipoproteínas de alta densidade, as LDL (Low Density Lipoproteins) as de baixa densidade e VLDL (very low density lipoproteins) as de muito baixa densidade. Em termos fisiológicos não existe colesterol ruim, acontece que como as lipoproteínas de alta densidade (HDL), o chamado “colesterol bom”, têm a função de transportar o colesterol dos tecidos e artérias para o fígado, onde é desintegrado, e partir de então pode ser eliminado na forma de bile e fezes, ela protege as artérias de acúmulo em suas paredes (endotélio) de placas de gordura e posterior processo inflamatório que pode gerar com o passar do tempo a formação de um coágulo pelo estreitamento da parede, capaz de bloquear gravemente o fluxo sanguíneo ocasionando aterosclerose e podendo levar o indivíduo a infarto e morte. Por conta desse processo, o LHL ficou conhecido como “colesterol ruim” por transportar o colesterol do fígado (onde é sintetizado) para as células, embora o preocupante seria a pessoa doente, com deficiência no metabolismo do colesterol, que apresenta alto nível de lipoproteína de baixa densidade (LDL) e o excesso pode dar início à formação de placa nas paredes internas das coronárias. Outro fator preocupante é quando o nível de HDL está baixo, pois não há transporte suficiente para retirar a “gordura” das artérias e então pode desencadear o processo de formação de aterosclerose.
O colesterol total é a soma do HDL e LDL, a hipercolesterolemia (colesterol alto) é normalmente devido a má alimentação - rica em gordura (fonte de colesterol na dieta é proveniente de alimentos de origem animal) e pobre em proteínas e fibras - embora existam outros fatores como idade, sexo e hereditariedade e doenças metabólicas que também podem influenciar nos níveis de colesterol. Através de um simples exame de sangue podemos analisar como se o nível de colesterol está adequado, observe: até 200 mg/dL seria ideal, entre 200 a 239 mg/dL já pode ser considerado  Limítrofe e maior que 240 mg/dL já está alto.

Colesterol  x exercício físico

A literatura relaciona a prática de exercício físico com a manutenção dos níveis normais de colesterol no sangue. Alguns estudos concluíram que houve diminuição nos níveis de colesterol total e aumento dos níveis de HDL após exercício físico regular, a explicação é de acordo com as duas enzimas responsáveis por controlar os níveis de colesterol no nosso organismo, a hepatolipase (HL) e a lecitina colesterolacil transferase (LCAT). A hepatolipase (HL) destrói o colesterol-HDL e transforma parte deste em colesterol-LDL. Portanto, quanto maior o nível desta enzima, maiores são os riscos para a saúde.A lecitina colesterolacil transferase (LCAT), ao contrário, é responsável por capturar o colesterol, retirando-o das paredes arteriais. A prática de exercícios físicos altera a produção destas enzimas, diminuindo a quantidade da HL e aumentando a quantidade da LCAT.

Curiosidades

Você sabia que os nossos níveis de colesterol são diferentes nas diferentes estações do ano? No inverno, o colesterol aumenta, já no verão, diminui. Você também sabia que o nível de colesterol fica elevado após uma cirurgia, durante uma infecção, e também quando estamos estressados? E quando estamos calmos e/ou sem processo inflamatório tende a voltar a níveis normais? A resposta é simples: o colesterol é um agente reparador do corpo humano, significa que quando o nosso organismo necessita realizar algum reparo, produz colesterol e o envia para o local afetado. Dependendo do horário do dia, do clima da estação do ano e da nossa exposição a vários agentes ambientais, os danos causados aos diversos tecidos do corpo humano podem variar. Conseqüentemente, a síntese de colesterol no organismo também varia. Conforme debatido, muitos fatores não dependem de nosso querer, então temos que agir naqueles que podem diminuí-lo como praticando exercício físico regular e tentando nos manter calmos e menos estressados possível!

 

Todos os direitos reservados.

" Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta vitória que vence o mundo: a nossa fé." ( 1Jo 5:4)

  Site Map