O efeito anti-inflamatório do exercício


   

Antes de comentarmos sobre o exercício em si e seu efeito anti-inflamatório, vamos conhecer alguns conceitos importantes:

Citocinas: são proteínas que têm papel imuno-regulatório, produzidas em resposta à infecção local e liberadas no local da inflamação. Durante um processo inflamatório, as concentrações de RCP (proteína C reativa) são aumentadas e é liberada uma cascata de citocinas nesta ordem:

v     TNF-ð (fator-ð de tumor necrose)

v     IL-1ß(interleucina 1ß)

v     IL-6 (interleucina 6)

v     ILI-1ra (receptor antagonista de interleucina 1

v     sTNFR (receptor solúvel de TNF-ð)

Os mecanismos responsáveis pela patogênese da inflamação podem ser compreendidos como:

v     Glicose e consumo exagerado de nutrientes

v     Aumento de TNF-ð e IL-6 que interferem no sinal de transdução de insulina

  

A Leptina: é a proteína específica do adipócito (célula de gordura), é maior em indivíduos obesos e apresenta maiores níveis em mulheres em comparação a homens. Suas funções englobam:

v     Efeito pró-agregatório sobre as plaquetas

v     Regulação da função imune


        A Insulina, hormônio produzido pelas células
â do pâncreas e além de aumentar a permeabilidade das membranas celulares para proteínas, gordura e açúcar, aumentando a absorção destes nutrientes, tem efeitos anti-inflamatórios, a destacar:

 v     Redução da geração de EROS (espécies reativas de O2) pelas células mononucleares

 v     Supressão da expressão de NADPH oxidase

 v     Supressão da ligação intranuclear NK-xB

 v     Indução da expressão de IkB

 v     Supressão das concentrações plasmáticas de moléculas de adesão intercelulares (ICAM-1) e proteína monócito quimocinática (MCP-1)
v     Supressão de Erg-1 intranuclear
v     Supressão do fator de tecido plasmático, PAI-1

 

 Inflamação X Resistência à insulina. Esta relação pode ser vista abaixo, mostrando que em ambas as situações em que há resitência à insulina (diabetes tipo 2 e obesidade) ocorre aumento de citocinas, marcadores inflamatórios  
  v     Obesidade: aumento de TNF-ð, CRP, IL-6 e PAI-1

       v      Diabetes tipo 2:aumento de ácido siacílico e IL-6


           Inflamação  x Envelhecimento
, ocorre durante o envelhecimento uma inflamação crônica de baixo grau nas seguintes situações:

v       Idosos: aumento nos níveis plasmáticos de TNF- ð,IL-6,sTNF-R e CRP

v       Dementia e aterosclerose: altos níveis plasmáticos de TNF-ð, e não de IL-6
v     Obesos, fumantes e pacientes com diabetes mellitus tipo 2: aumento  nos níveis plasmáticos de TNF-ð e IL-6
           Sepsi
, infecção generalizada dispara a cascata de citocinas:

v     TNF- ð

v     IL-1ß

v     IL-6

v     IL-1ra

v     sTNFR

v     IL-10

Tanto TNF- ð quanto a IL-1ß, são citocinas pró-inflamatórias, já a IL-6 é classificada como pró e anti-inflamatória etem efeito inibitório sobre a produção de TNF- ð e IL-1 e dispara citocinas anti-inflamatórias:  IL-ra, sTNFR e IL-10.

 

Exercício

 

Durante o exercício: Diferentemente do que ocorre na Sepsi (infecção genealizada), durante o exercício as duas primeiras citocinas  pró-inflamatórias não são ativadas, começando a cascata com IL-6 que apesar de ser classificada como citocina pró e anti-inflamatória neste caso tem função anti-inflamatória, mostrando que o exercício ativa somente a cascata anti-inflamatória, confirmando o efeito anti-inflamatório do exercício!

Cascata de citocinas:

v     IL-6

v     IL-1ra

v     sTNFR

v     IL-10


 Pós exercício
: diminuição nos níveis de IL-6

IL-6: Miocina produzida e liberada pela contração dos músculos esqueléticos, aumentando a produção endógena de glicose e tem efeito inibitório sobre a produção de TNF- á e IL-1. Reflete a grande importância anti-inflamatória do exercício!

                                                 

                                                  Papel do exercício:

Profilaxia:

v     Aterosclerose

v     Diabetes tipo 2

v     Câncer de colon

v     Câncer de mama

Tratamento:

v     Doenças isquêmicas

v     Insuficiência cardíaca

v     Diabetes tipo 2

v     DPOC

 

 

Referências Bibliográficas:

 

PETERSEN, A.M.W. et al. The anti-inflammatory effect of exercise J Appl Physiol 2005;98: 1154–1162.

 

WANNAMETHEE, S.G. et al. Physical Activity and Hemostatic and Inflammatory Variables in Elderly Men Circulation. 2002;105:1785-1790.

 

ADAMOPOULOS, S. et al. Physical training reduces peripheral markers of inflammation in patients with chronic heart failure European Heart Journal 2001; 22; 791–797.

 

STEWART, L.K. et al.The Influence of Exercise Training on Inflammatory Cytokines and C-Reactive Protein Medicine & Science In Sports & Exercise, 2007 1714-1719.

 

ZICCARDI, P. et al. Reduction of Inflammatory Cytokine Concentrations and Improvement of Endothelial Functions in Obese Women After Weight Loss Over One Year Circulation. 2002;105:804-809

 

 

Todos os direitos reservados.

" Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta vitória que vence o mundo: a nossa fé." ( 1Jo 5:4)

  Site Map